MP pede ajustes no atendimento médico do Rock in Rio

A 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor do Rio de Janeiro entrou com um pedido de liminar no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro na noite desta terça-feira (17) pedindo a suspensão do Rock in Rio até que sejam sanadas irregularidades constatadas nos postos médicos durante o primeiro fim de semana do festival.

Segundo a assessoria do Ministério Público do Rio de Janeiro, os problemas foram constatados em vistorias feitas em conjunto com os Bombeiros entre os dias 13 e 15 de setembro. Durante a operação, os agentes apontaram que o número de médicos, leitos, suprimentos e ambulâncias era insuficiente e não cumpria a exigência mínima.

A lista de irregularidades incluía ainda “áreas de escape das viaturas obstruídas”, “falta de sinalização dos postos médicos”, “ambulâncias básicas sem materiais e insumos mínimos para o funcionamento” e “acolhimento e classificação de risco ineficazes”.

Ainda segundo a assessoria do órgão, a intenção da liminar não é impedir que o segundo fim de semana seja realizado, mas que todas as medidas de segurança sejam atendidas.

A organização do Rock in Rio afirmou que não foi informada oficialmente sobre o pedido da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor e que o festival já trabalha para se adequar às solicitações feitas pelos órgãos depois das vistorias feitas no primeiro fim de semana.

O público reclamou, principalmente nas redes sociais, da falta ou da demora de socorristas e seguranças em momentos de atendimento de urgência. A maior parte dos casos foi por causa de desidratação e queda de pressão.

Apenas no primeiro dia, foram mais de 300 atendimentos médicos nos postos do Rock in Rio. Os sete postos espalhados pela Cidade do Rock enfrentaram falta de água potável para dar aos pacientes.

Procon multou festival por vazamento
Após vazamento de esgoto em um banheiro do Rock in Rio 2013, o Procon-RJ interditou um dos sanitários da Cidade do Rock e multou o evento na sexta-feira (13).

De acordo com comunicado do site do Procon, a organização do Rock in Rio foi autuada e a multa será estabelecida pelo departamento jurídico nos próximos 15 dias. Outro problema encontrado neste primeiro dia foi a falta de preços nas mercadorias expostas na vitrine da Coca-Cola Clothing. O estabelecimento também foi autuado.

O banheiro, que tem pelo menos 20 módulos com cinco cabines cada, foi fechado e as mulheres estavam sendo impedidas de entrar. De acordo com a organização, a causa do entupimento foi papéis higiênicos jogados no vaso sanitário.

Segundo o Procon, um vazamento acarretou numa poça de urina e fezes nos fundos da lanchonete do Bob’s, próximo ao local onde são armazenados as bebidas do estabelecimento em galões.


©2019 - Carriço Advogados Associados - Direitos reservados
Confecção: MarketingRJ